banner bramil 598x90 generico

Publicidade

Revista vale do cafe publicidade

Components

alambique aline siteA cachaça é a bebida destilada mais consumida no Brasil.

Começando a galgar pontuação no ranking de cachaças do estado, o Alambique Vieira & Castro, localizado no município de Rio das Flores, sul fluminense, vem se destacando na produção da bebida destilada 100% “Made in Brasil.”

Seguindo um rígido padrão de qualidade, sem perder a forma artesanal de fabricação, a cachaça produzida no alambique dirigido pela jovem Aline Castro Vieira foi destaque no mês de janeiro na Confraria do Copo Furado do Rio de Janeiro.

Criada em Ipanema no ano de 1994, a Confraria do Copo Furado, presidida por Yansel Galindo, reúne apreciadores de aguardente de cana-de-açúcar, a popular cachaça, pinga ou caninha, sendo uma entidade civil, sem fins lucrativos, que ministra cursos de introdução ao universo da cachaça, promove a história, o estudo, a valorização e a divulgação da cachaça, como a genuína bebida nacional.

Sempre com o objetivo de não perder a forma artesanal de fabricação, preservando altos padrões de limpeza e organização, o Alambique Vieira & Castro utiliza equipamentos de última geração, no padrão “farmácia”, dentro das normas exigidas pelo Ministério da Agricultura (MAPA) para fabricação de um produto de qualidade inigualável.

Para Aline, a forma artesanal de fabricação da cachaça deve ser preservada e para que isso aconteça seu alambique utiliza somente canas da própria fazenda, plantadas com adubo natural e sem uso de fertilizantes químicos.

“Nossa fabricação despreza a ‘cabeça’ e a ‘calda’, produzindo, numa alambicada lenta, com temperatura controlada, uma cachaça de puro coração”, disse Aline.

Com a criação da lei n° 6.291/2012, que considera a cachaça como Patrimônio Histórico Cultural do Estado do Rio de Janeiro e da lei n° 7.595/2017, que obriga os bares, restaurantes e hotéis a incluir pelo menos quatro marcas de cachaças produzidas no estado em seus cardápios, informando ainda seu município de origem, o produto 100% brasileiro vem ganhando maior projeção no estado.

Segundo o IBRAC – Instituto Brasileiro da Cachaça em relação às exportações, no ano de 2017, a cachaça brasileira foi exportada para mais de 60 países, gerando receita de US$ 15,80 milhões (8,74 milhões de litros).

Esses números representam um crescimento de 13,43% em valor e 4,32% em volume, em comparação a 2016, resultando no segundo ano seguido de aumento das exportações.

Em 2017, os principais países de destino em valor foram: Estados Unidos, Alemanha, Paraguai, França e Portugal.

O Rio de Janeiro vem se firmando como um polo produtor de cachaças de excelência, e já é o terceiro estado exportador do destilado, passando Minas Gerais e ficando apenas atrás de São Paulo e Pernambuco.